Reservas de gás rondam os 4 triliões de pés cúbicos

FONTE:

JA

AUTOR:

20181125083133reservas

As reservas provadas de gás, em Angola, podem estar à volta dos quatro triliões de pés cúbicos, sem contar com um potencial de recursos em projectos considerados marginais.

 revelação foi feita na IV Conferência Internacional de Petróleo, que terminou sexta-feira, em Luanda, pela engenheira Sandra Moreira, da Sonangol, quando abordava o tema “ Investimento no gás natural”.

Os projectos considerados marginais, mas com potencial de gás, de acordo com Sandra Moreira, poderão, num futuro muito breve, acrescentar algum valor às reservas do país.
O único projecto de gás no país é o Angola LNG, no Bloco 14, que começou a operar em 2013 e com uma previsão de exploração de 30 anos.
A planta tem uma capacidade de fornecimento de 5,2 toneladas por dia, sendo 125 milhões de pés cúbicos para consumo interno.Do ponto de vista técnico, explicou a engenheira, fala-se em reservas provadas quando os campos estão em produção. “ As nossas reservas estão associadas ao gás associado dos blocos em produção (Bloco 0, 14,15,16,17,18 e agora o bloco 32 –  Kaombo)”.
As maiores reservas provadas de gás no mundo estão na região do Médio Oriente e calcula-se que venham a ser exploradas durante 120 anos. As reservas de África estão calculadas em 60 anos de produção. A nível do mundo, os EUA são os maiores consumidores de gás natural, seguidos da Ásia.
Promovida pela Faculdade de Engenharia da Universidade Católica de Angola, com o apoio da Chevron-Negócios na África Austral, Sociedade dos Engenheiros de Petróleo (SEP) e do Banco de Fomento de Angola (BFA), a Conferência decorreu entre quarta e sexta, sob o lema “Estratégias Tecnológicas, Normativas e Legais da Indústria Petrolífera”.

Partilhe esta notícia

Artigos relacionados