Ministra da Indústria Inaugura fábrica Dimapão

FONTE:

Notícias na Hora

AUTOR:

Nilton Monteiro
IMG_20190206_124426 (1)

O grupo da Empresa Francesa Le Comptor de l’Export, o MEDEF Internacional, contando com o apoio da Embaixada da França, e do Ministério da Indústria, deu inicio hoje à inovadora fábrica de pães, sita na rua Senado da Camara (n.º 85, no Km 14 em Viana.

A cerimónia que marcou o arranque da laboração da empresa francesa, líder mundial na área da indústria alimentar, contou com a participação da ministra da indústria, Bernarda Martins e do Embaixador da França, Sylvain Itté, bem como da comitiva MEDEF.

A Dimassaba é uma empresa francesa especializada na produção e na venda de produtos alimentares, que dispõe actualmente 11 pontos de distribuição de produtos alimentares em todo o território angolano (Luanda, Uíge, Benguela, Huambo, Lubango) e que emprega cerca de 400 funcionário em Angola.

A Dimapão é a, assim, a nova de linha industrial de produção de pães, localizada em Viana, no km 14, com a capacidade de produção de 150.000 pães por dia e cerca de 6.000 bolas de 150gr por hora. A fábrica vai contratar 36 funcionário por linha.

A ministra da Indústria lembrou na ocasião que o grupo Demassaba, vem investindo, há já um bom par de anos, em Angola, no domínio da alimentação, sobretudo em bens da cesta básica. “Eles entenderam que Angola precisa cada vez mais de investir na produção nacional e não na importação, e, alinhados com o Governo, decidiram produzir localmente aqueles produtos que anteriormente importavam.”

A ministra assinalou que esta é primeira grande unidade de produção de pão de uma panificação industrial.

A França é um grande parceiro tecnológico no que toca à produção de pão de qualidade a nível do país, concluiu Bernarda Silva.

O empresário Hussein Bourji, P.D.G do grupo Le Comptor d’Export, disse que a empresa investiu 5 milhões de dólares. “Um dos pontos mais fundamentais neste momento é zelar pela qualidade, higiene e o respeito das normas internacionais”.

”Esta fábrica, não precisa que as pessoas mexam na farinha e na massa, porque possui um processo automático que dispensa o envolvimento das mãos na pasta”, esclareceu.

Hussein Bourji acrescentou que a empresa é a primeira no mundo a utilizar este tipo de tecnologia em padarias industriais com produção de qualidade e que aquela facilita a compra de pães mais barato às comunidades locais. “O nosso grupo também tem um projecto de produzir bolachas para daqui a 6 meses”, revelou a concluir.

Partilhe esta notícia

Artigos relacionados