Há excesso de bombas de combustível no Luvo

FONTE:

JA

AUTOR:

20181125164747luvu_bombas

O governador do Zaire, Pedro Makita Júlia, mostrou-se inquietado com o excessivo número de postos de abastecimento de combustíveis no corredor da comuna do Luvo, cerca de 60 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, e sugeriu a sua redistribuição para os troços rodoviários que ligam a capital provincial aos municípios do Kuimba e do Nóqui, regiões que regista um elevado défice nesse domínio.

O governador do Zaire, Pedro Makita Júlia, mostrou-se inquietado com o excessivo número de postos de abastecimento de combustíveis no corredor da comuna do Luvo, cerca de 60 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, e sugeriu a sua redistribuição para os troços rodoviários que ligam a capital provincial aos municípios do Kuimba e do Nóqui, regiões que registam um elevado défice nesse domínio.
Segundo o supervisor técnico administrativo da Sonangol Distribuidora, Domingos Pedro Nzila, em declarações ao Jornal de Angola, o governador pretende que alguns dos postos de abastecimento de campanha ou móveis sejam deslocados, sobretudo para o corredor do Nóqui, ao invés de permanecerem no corredor do Luvo, cujo parque automóvel, conforme disse, não justifica o seu elevado número.
Adiantou que o município do Nóqui é o que mais necessidade de postos de abastecimento tem, sobretudo devido ao péssimo estado da estrada, que dificulta o transporte regular de combustíveis.
Domingos Nzila referiu, contudo, que o corredor do Kuimba “está bem servido”, apesar de haver a necessidade do alargamento de mais postos de abastecimento, com a sua ligação ao município de Maquela do Zombo, província do Uíge.
Descartou qualquer relação dessa preocupação do Zaire com o contrabando de combustíveis, em grande escala, na província, praticado sobretudo por cidadãos da RDC que contam com a ajuda de vários nacionais.

Partilhe esta notícia

Artigos relacionados