BNA mantém taxas de juro com baixa da inflação

O andamento descendente da inflação e a redução da base monetária, que contraiu 2,4% em termos homólogos levaram o banco central a manter as taxas de juro

FONTE:

NNH

AUTOR:

BNA.logojpg

O Banco Nacional de Angola decidiu na última reunião do seu Comité de Política Monetária (CPM), manter alteradas a taxa de referência do banco central, bem como as principais taxas interbancárias de cedência e absorção de liquidez.

Aliás o BNA observa que “no mercado monetário interbancário, observou-se, no mês de Agosto de 2018, um aumento de 26,70% dos montantes transaccionados, totalizando um fluxo de Kz 1,04 bilhões. A LUIBOR, na maturidade overnight, situou-se em 16,52%, o que representou uma diminuição face ao nível em que se encontrava no início do ano (17,77%)”.

No mercado de crédito emprestou-se mais nos últimos dozes meses, designadamente em moeda nacional. “No mercado de crédito, observou-se uma expansão mensal do Crédito em Moeda Nacional de 1,57%. Nos últimos 12 meses, o crédito à economia em moeda nacional cresceu em torno dos 2,81%”, refere o banco central.

E quanto obtiveram os bancos junto do BNA para efectuar operações em moeda estrangeira? Se, nos 12 últimos meses, o Banco Nacional de Angola vendeu um total de  1,42 mil milhões de dólares aos bancos comerciais, tendo a venda acumulada, no corrente ano, sido de 9,48 mil milhões de dólares, este valor é inferior ao montante vendido aos bancos comerciais no mesmo período do ano passado, em 6,50%.

Refira-se que as reservas internacionais líquidas (reservas estratégicas) situaram-se, em Agosto de 2018, em 17,18 mil milhões de dólares contra os  18,54 mil milhões de dólares, em Julho de 2018, e  18,06 mil milhões de dólares em Dezembro de 2017. No final do referido mês, o nível de reservas internacionais representava 7,1 meses de cobertura das importações de bens e serviços

O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM) decidiu manter a Taxa BNA em 16,5%. O CPM decidiu também manter inalterada a taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez em 0% e os coeficientes das Reservas Obrigatórias em moeda nacional em 17% e 15% em moeda estrangeira

Partilhe esta notícia

Artigos relacionados