Abertura dos mercados: Bolsas europeias sobem com resultados

As bolsas europeias estão a subir, beneficiando dos resultados apresentados por várias cotadas

FONTE:

Negócios

AUTOR:

bolsas europeias

As bolsas europeias estão a subir, beneficiando dos resultados apresentados por várias cotadas. A perspectiva de mais subidas de juros nos EUA, o impasse em torno do Brexit e a situação das contas públicas italianas acabam por travar o entusiasmo.

A Unilever apresentou dados de vendas superiores ao esperado. A SAP, a Ericsson e a Pernod Ricard reportaram aumentos dos lucros, com os números a superarem as estimativas. Em grande destaque está o Carrefour, cujas acções estão a disparar mais de 8,5% depois de ter revelado que o aumento das vendas em França e no Brasil aceleraram, o que anulou o enfraquecimento das receitas no Sul da Europa.

O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas da Europa, está a ganhar 0,24% para 364,42 pontos. A travar o entusiasmo dos investidores estão questões orçamentais de Itália e o impasse em relação ao Brexit. A pressionar as bolsas está também o sentimento negativo que pautou a negociação nos EUA, depois de serem conhecidas as minutas da última reunião da Reserva Federal (Fed). A autoridade já está a estudar subir os juros para além dos 3%.

Itália e Fed condicionam juros na Europa

As contas públicas italianas, que prevêem, entre outras questões, um défice de 2,4% do PIB, têm provocado uma troca de palavras entre Roma e Bruxelas. E deixado os investidores algo receosos, o que se tem reflectido na subida de juros entre os países europeus. A condicionar a negociação dos juros na Europa está ainda a perspectiva de mais aumentos do preço do dinheiro nos EUA.

Neste contexto, os juros italianos estão a subir 0,08 pontos base para 3,54%, enquanto os portugueses descem 0,04 pontos para 1,944%. Já as bunds estão a aumentar 1,1 pontos para 0,472%.

Dólar sobe sustentado pela Fed

A moeda americana está a subir contra um cabaz de divisas, a beneficiar da perspectiva de mais subidas de juros nos EUA. Isto depois de terem sido divulgadas as minutas da última reunião da Fed, que aponta para mais aumentos do preço do dinheiro naquele país.

Já a libra está estável, numa altura em que o impasse em torno do Brexit continua a marcar a agenda.

Partilhe esta notícia

Artigos relacionados